segunda-feira, 30 de novembro de 2009

QUEM É DE AxÉ, DIZ QUE É


Marcelo Galvão


Marcelo Nunes Galvão, Babá Marcelo de Obaluaiyê é responsável pelo Ilê Ilé Ifé Axé Òbáluàiyé, localizado no município de Extremoz, área metropolitana de Natal. Marcelo Galvão juntamente com sua esposa Tereza de Xangô, em 1998, adquire por compra um terreno onde edifica o Ilê.


Nasceu em 02/02/1962, na cidade de Natal/RN. Filho de Olírio Galvão e Maria Nunes Galvão, católicos, que transmitiram os ensinamentos cristãos para o filho, seguidos até a fase da adolescência. Inquieto e em busca de respostas passou a freqüentar outras práticas religiosas, tais como a protestante e a espírita. No entanto, foi numa igreja da Assembléia de Deus, que vivenciou as primeiras experiências mediúnicas, como o transe e o falar “línguas estranhas”. Posteriormente vai para um centro espírita – o Centro Espírita Bezerra de Menezes.


O trabalho numa loja comercial que vendia artigos religiosos de Umbanda, o levou a conhecer alguns terreiros de Natal e a prática religiosa dessas casas. Passou a freqüentar o Centro Espírita de Umbanda Santa Bárbara, no bairro do Alecrim, sob a responsabilidade de Babá Reinaldo Ribeiro dos Santos e Yá Luciene Cacilda Ribeiro dos Santos, mãe Luciene de Ogum. Neste Centro de Umbanda, em 1978, faz sua iniciação e os rituais de bori para o orixá Obaluaiyê, chegando, posteriormente, a assumir o cargo de babakekerê da casa. Fez ainda serviço no santo com Mãe Nem, responsável por seu acompanhamento durante este período.


Durante os anos de 1984 a 1990 fixa residência na cidade de Florianópolis/SC, onde abre um terreiro. Seu retorno para Natal o faz percorrer algumas casas religiosas onde desenvolve trabalhos espirituais. Em 1991 conhece Babá Boni com quem faz as obrigações na nação ketu, marcando a partir daí a condução ritualística do Ilê Ilé Ifé Axé Òbáluàiyé.


Atualmente Babá Marcelo de Obaluaiyê está sob os cuidados de Walmir de Oxossi, Ebomi do Gantois, herdeiro da Casa de Mãe Marina de Ossãe, no Rio de Janeiro. Mãe Marina foi iniciada no Gantois há exatamente 77 anos por Mãe Menininha. Pai Walmir atualmente é cuidado por Mãe Carmem de Oxaguian, filha carnal de Mãe Menininha e atual Iyalorixá do Gantois.

2 comentários:

  1. Professor. Nós seguidores das religiões afro-brasileiras nos sentimos resgatados pelo seu trabalho. Estamos tendo a oportunidade de transcendermos o gueto para compor o significado real de uma sociedade plural.

    O Blog está lindo, útil, necessário.

    Obrigado de coração

    ResponderExcluir
  2. Meu caro amigo. Gostaria de chamá-lo meu nome. Agradeço pela mensagem. Pode ter certeza que é esta a proposta, o desejo de uma sociedade plural, a existência do respeito pelo outro, pelos direitos humanos... E que o Blog possibilite um diálogo. Divulgue-o entre seus amigos e conhecidos. Pode ter certeza tb que suas palavras ajudam a continuar a caminhada...
    Grande abnraço. Luiz.

    ResponderExcluir