domingo, 15 de novembro de 2009

Sábado e Domingo de Congresso

Fotografia: Prof. Yuri Tavares (USP), Maria Elise Rivas (FTU), Joaquim Gonçalves Barbosa (Universidade Metodista) e Roseli Fischmann (USP).

Neste sábado, dia 14/11, a programação do Congresso Brasileiro de Umbanda foi bastante extensa. Como atividades permanentes: o salão de exposição de fotografias, objetos rituais e pôsteres dos alunos. Entre as conferências destacaram-se as de Roseli Fischmann (USP), Vagner Gonçalves (USP) e Laila Andressa Rosa (Fundação Pierre Verger).


A professora Roseli Fischmann falou sobre o estado laico no Brasil e suas relações com a religião e a pluralidade cultural. Em sua fala analisou alguns pontos sobre o acordo entre o governo brasileiro e a Santa Sé, já votado pelo congresso nacional. O professor Vagner Gonçalves abordou aspectos sobre divergências e convergências no campo religioso afro-brasileiro e neopentecostal, enquanto a etnomusicóloga Laila Andresa ressaltou a música e a performance no feminino na casa Xambá de Recife.


No ultimo dia do encontro, 15/11, a primeira conferência ficou a cargo do professor Carlos Benedito da Silva (UFMA), que falou sobre sincretismo e identidade cultural maranhense. Concluindo o Congresso, mais duas conferências: o professor Roger Taussig (FTU) falou sobre o sincretismo na dialética do conhecimento e a professora Maria Elise Machado Rivas explanou sobre a tecnologia como ferramenta de aproximação no processo sincrético nas religiões afro-brasileiras.


É importante destacar que o Congresso contou com a participação de pessoas dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Tocantins, Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão e Rondônia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário