sábado, 19 de junho de 2010

Outro nordeste, em imagens

Artistas, escritores, cineastas sempre utilizaram imagens para construir representações sobre a região nordeste, a terra e o homem, que vão desde aquelas que remetem ao banditismo (os cangaceiros), a seca (e os retirantes), como o exotismo (as festas, crendices, religiosidades).

O cineasta cearense Karim Ainouz tem realizado filmes em que procura retratar um nordeste do cotidiano, da margem. Um espaço em que os sujeitos têm nome, sofrem, ama, procuram viver, aproximando realidade e ficção, emoção e imagem.

Um dos seus filmes – O céu de Suely – precisa ser visto.

Sinopse do filme: O Céu de Suely (2006)

Dirigido por Karim Aïnouz, este filme conta a história de Hermilia (interpretada por Hermila Guedes), uma cearense que depois de tentar ganhar a vida em São Paulo volta para o Nordeste com o filho recém-nascido. Lá, sem dinheiro, espera pelo marido que nunca volta. O Céu de Suely tem um realismo que impressiona (os nomes de todos os personagens correspondem aos nomes dos atores na vida real) e bastante delicadeza, algo raro nas produções nacionais de hoje. Hermilia tentará viver dignamente vendendo rifas, mas logo descobrirá que vai precisar rifar outra coisa para conseguir sobreviver.

Um comentário:

  1. Eu compraria a rifa dela numa boa, professor.

    Vou tentar encontrar o filme. Suas referências e os créditos no trailler abaixo são indicativos de qualidade, com certeza. Gosto muito de filmes no estilo documentário. E, noutros estilos, tem obras primas que ainda não vi: "O pagador de promessas", "A pedra do reino", "Deus e o diabo na terra do Sol", e aqueles filmes horríveis do tempo da pornochanchada brasileira, tipo, "Toda nudez será castigada". filmes do último gênero citado são ruins via de regra, mas eu gosto mesmo assim.

    abraços

    ResponderExcluir