domingo, 6 de junho de 2010

Poesia em final de tarde de domingo

Perdão se quando quero

contar minha vida

é terra o que conto.

Cresce em teu sangue

e cresces.

Se se apaga em teu sangue

te apagas.



Pablo Neruda

(Ainda. 1975)

Nenhum comentário:

Postar um comentário