domingo, 7 de novembro de 2010

OAB nacional repudia ofensas contra o Nordeste feitas por estudante de Direito

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, manifestou seu apoio à notícia-crime e à ação apresentadas, respectivamente, pela Seccional da OAB de Pernambuco e pela do Ceará contra os ataques aos nordestinos no Twitter em protesto à eleição de Dilma Rousseff.

A OAB nacional reagiu às mensagens que teriam sido iniciadas pela estudante de Direito Mayara Petruso, de São Paulo.


A estudante declarou:

“Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!”.

Infelizmente, Mayara não foi a única. Vários outros “brasileiros” também passaram a agredir os nordestinos, revoltados com o resultado final das eleições.

A OAB-PE apresentou a notícia-crime no Ministério Público Federal em São Paulo contra Mayara, por crime de racismo e incitação pública de prática de crime.

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, condenou as ofensas. "Temos que lamentar esse tipo de conduta. É uma espécie de racismo, mas contra a procedência. Um crime previsto, por exemplo, na lei 7.716/89, que já falava em punir a prática e a incitação de discriminação de raça, cor, religião e também procedência".

Até dia 04/11, o ato tinha 1.830 usuários confirmados. No Twitter, os hashtags "orgulhodesernordestino" e "oab" já apareceram entre os mais citados da rede. Apesar das mensagens contra o Nordeste no Twitter afirmarem que a região teria eleito Dilma, na verdade mesmo se os eleitores de Norte e Nordeste fossem excluídos, Dilma seria eleita, por diferença de 275 mil votos.

Um comentário:

  1. Professor, e entre várias pessoas identificadas sobre a acusação de xenofobia, tem uma aluna da UFRN. Mais precisamente do curso de Ciências Sociais(L)(N). A declaração da mesma aparece entre os segundos 0:45 e 0:47 do vídeo do youtube: http://www.youtube.com/watch?v=eLCwSto6uDQ
    Que contradição para uma aluna de Ciências Sociais, não acha?!

    ResponderExcluir