sábado, 30 de abril de 2011

Congresso Brasileiro de Folclore

Estão abertas as inscrições para o XV Congresso Brasileiro de Folclore, realizado pelas Comissões Nacional e Paulista de Folclore, que acontecerá entre os dias 11 e 15 de Julho no município de São José dos Campos, interior de São Paulo, reunindo cerca de 100 pesquisadores de todos os Estados para palestras, oficinas, vivências e apresentação de manifestações folclóricas diversas como dança, música, artes plásticas e literatura.

<http://www.xvcongressodefolcloresp.org/


quarta-feira, 27 de abril de 2011

Axé na rede virtual

O processo de comunicação via internet tem sido cada vez mais amplo e, como parte desse processo, temos visto o crescimento de páginas produzidas por pessoas ligadas as comunidades de terreiros, seja adeptos ou aqueles comprometidos com a causa religiosa afro-brasileira. Por um lado, a rede Orkut (criação de perfil, comunidades) e, mais recentemente, os Blogs. Estes espaços de escrita e comunicação são importantes na medida em que propicia o estabelecer relações, redes, sociabilidades, encontros, mas também por oportunizar o debate, a informação, o conhecimento sobre questões que permeiam a temática – no caso, em particular, as religiões afro-brasileiras e de forma mais ampla as questões relacionadas aos direitos humanos.

É importante divulgar para ampliar o acesso de um número cada vez maior de pessoas. Como, por exemplo, o belo trabalho feito Obashanan (http://acervoayom.blogspot.com), em São Paulo, para manter a tradição musical religiosa afro-brasileira, precisa ser conhecido, visitado, pesquisado.

Além do site de Obashanam, recomendo dois Blogs que tenho constantemente visitado:

Blog de Evandro Fernandes (Pai Evandro de Ogum) - http://evandrodeogum.blogspot.com

Blog de Klenison Soares - http://klenison-soares.zip.net/


terça-feira, 26 de abril de 2011

Combate a atos de discriminação na internet

A Fundação Cultural Palmares está divulgando campanha para que sejam denunciados casos de homofobia (aversão aos homossexuais), misoginia (discriminação contra as mulheres), xenofobia (aversão a estrangeiros) e racismo (contra negros e indígenas, sobretudo). Como “fiscais da cidadania”, estimula que sejam feitas pesquisas e encaminhem às autoridades endereços de redes sociais, blogs e sites que pregam o ódio ao outro.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Umbandista verdadeiro ou umbandista de final de semana, qual você é?

Pai Adriano de Xangô divulgou uma mensagem que considero muito oportuna para se pensar sobre o papel do umbandista. Segue alguns trechos da reflexão:

O
UMBANDISTA VERDADEIRO, não deixa de ser umbandista quando os atabaques do terreiro param. Ele continua vivenciando sua religião mesmo fora do templo sagrado. Pois sabe que é aqui fora que se deve por em prática todo o ensinamento dados pelos guias na sessão.

O
UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA, além de reclamar da duração do trabalho, pois é cansativo ficar em pé algumas horas a cada semana, ou a cada quinze dias, deixa de ser umbandista com o término dos trabalhos. Não vê à hora de ir embora e voltar para sua rotina habitual. Quando indagado sobre sua religião, tem vergonha, esconde, mente ser de outra, e não faz questão nenhuma de por em prática aquilo que aprendeu.

O
UMBANDISTA VERDADEIRO é aquele que se orgulha de sua religião, não teme assumi-la publicamente, ou ajudar aquele que precisa. É aquele médium interessado, que sempre busca aprender mais, questionar mais, buscando compreender melhor como funciona sua religião e a espiritualidade.

O
UMBANDISTA VERDADEIRO tem amor à sua casa religiosa, pois entende que é nesse solo sagrado que seus Orixás e seus guias se manifestam, além de ser uma escola onde desenvolve sua mediunidade e aperfeiçoa sua moral. Busca auxiliá-la em tudo que precisa, tem zelo, tem capricho.

O
UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA lembra-se de seu terreiro apenas nos dias de sessões, e não se preocupa se tudo está em ordem, ou se a casa encontra-se em bom estado, pois, apenas quer “ficar” àquelas horas ali e ir embora e sempre o mais rápido possível.

O
UMBANDISTA VERDADEIRO realmente acredita naquilo que professa. Sabe que a espiritualidade está em todos os lugares e tudo que faz, faz com fé e amor, pois tem a certeza que os “guias” estão ali e irão, de alguma forma, auxiliá-lo, mesmo não sendo da maneira que ele esperava. Não se desespera com as provações, com os contratempos, com as peripécias da vida, pois sabe que é nos momentos difíceis que realmente somos lapidados.

O
UMBANDISTA DE FIM DE SEMANA duvida do que professa. Não tem certeza das manifestações. É aquele que acredita que sendo Umbandista, nunca mais terá problema de saúde, que nunca mais terá problemas financeiros. Quando tais problemas aparecem, revolta-se e mais uma vez põe em dúvida sua religião. É aquele que acredita serem as entidades verdadeiras “gênios da lâmpada”, que tudo que ele pedir e quiserem, elas terão que dar. Acredita que não haverá mais contratempo e que não passará por provações, pois as “entidades não vão o deixar sofrer”.

E você? Em qual você é?

(Adriano Oliveira, Pai Adriano de Xangô)

domingo, 17 de abril de 2011

Rio Potengi

O documentário "O sabor do Rio" foi produzido por alunos da pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e apresenta uma reflexão sobre a história da comunidade ribeirinha e aspectos do seu cotidiano.

Vale à pena conferir.

http://vimeo.com/user6666323/osabordorio


quarta-feira, 13 de abril de 2011

A Jurema da mestra Jardecilha de Alhandra

Hoje é o último dia do prazo acordado para a compra do espaço onde se encontra o pé de jurema dedicado ao Mestre Manoel Cadete no Templo da Mestra Jardecilha, em Alhandra-PB (ver post do dia 13/03 nesta página).

Quem puder ajudar, poderá depositar na conta da juremeira Nina – Agência do Banco do Brasil 1262-9, conta corrente 26003-7 e confirmar seu depósito para o endereço: fcpumcanju@hotmail.com.

sábado, 9 de abril de 2011

Mapeamento dos terreiros da Zona Norte

Estou procurando fazer o mapeamento dos terreiros da Zona Norte de Natal, com o objetivo de elaborar o perfil religioso desses espaços, como obter um dado quantitativo. Mas não tem sido fácil localizá-los, pois como sabemos, nem todos os terreiros estão identificados nas suas fachadas.


Gostaria de contar com o apoio de todos no sentido de ajudar a chegar a esses terreiros, informando aqui no Blog alguma referencia que indique como chegar ao local.


No momento estamos no bairro de Pajuçara.

Notícias

Amigos que acessam o Blog... Vocês devem ter percebido minha ausência nesses últimos dias. É que ando muito atarefado com projetos para serem concluídos e isso toma muito tempo, não tenho conseguido nem pensar, nem buscar idéias para o Blog. Mas, na medida do possível vamos voltar ao post.

Aproveito para agradecer a participação de todos, como também registrar a presença de novos seguidores. Sem todos bem vindos.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Denúncia de racismo

O presidente da Fundação Cultura Palmares, Eloi Ferreira de Araújo, encaminhou ao Procurador Geral da República, o pedido de providências em relação às declarações de Jair Bolsonaro contra a população afro-brasileira, dadas na noite da última segunda-feira (28), a um programa humorístico.

sábado, 2 de abril de 2011

Tráfico de seres humanos

Tenho recebido constantemente e-mails com mensagens sobre o desaparecimento de crianças e adolescentes no Brasil. Resolvi procurar informações na internet e vejam o que encontrei.


Para a Organização das Nações Unidas (ONU), o número de pessoas traficadas no planeta atinge a casa dos quatro milhões anuais. Em meio a essas denúncias, veio à tona uma realidade escandalosa: o Brasil é um dos países campeões no mundo em relação ao fornecimento de seres humanos para o tráfico internacional.


O mapa deste comércio tem sempre uma constante: as pessoas traficadas são provenientes de regiões pobres e levadas para as regiões ricas.


O Centro de Estudos, Referência e Ações da Criança e Adolescente (Cecria), uma ONG ligada à Universidade de Brasília, liderou uma pesquisa sobre o tráfico de pessoas no Brasil. A pesquisa feita em cima de denúncias formuladas às delegacias de polícia, detectou mais de 200 rotas internas de tráfico - principalmente de meninas e jovens mulheres.


A exploração da mão-de-obra e trabalhos forçados é considerada nova faceta da escravidão no século 21. O tráfico de seres humanos e o tráfico ilegal de imigrantes costumam ser confundidos, mas correspondem a fenômenos diferentes: o primeiro se refere à exploração da mão-de-obra das pessoas e à privação de sua liberdade, enquanto o objetivo do segundo é a entrada ilegal de imigrantes.


O anúncio de uma oferta de trabalho em outro país e a busca de oportunidades para escapar de um ambiente de pobreza costuma ser o caminho para uma situação de dependência: muitas mulheres são enganadas e passam a trabalhar na indústria do sexo durante anos com o argumento de que precisam pagar os custos de sua viagem.


Muitos dos criminosos se apropriam dos documentos das vítimas e a ilegalidade no novo país coloca a pessoa numa situação difícil devido ao medo de recorrer à polícia.


Para os especialistas, o caminho para combater essa situação são a conscientização pública sobre o problema, campanhas de informação e a educação. Mas também se deve aplicar (as leis) de forma mais determinada, assim como estabelecer uma cooperação institucional conjunta entre as organizações não-governamentais (ONGs) para combater o problema.

Fonte: ADITAL – Notícias da América Latina e Caribe.