quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Demolição da memória religiosa umbandista

Mais um crime contra a cultura e a religiao afro-brasileira é cometido, impunemente. A casa que abrigou o médium Zélio de Moraes, que ao incorporar o Caboclo das Sete Encruzilhadas, deu início às primeiras doutrinas umbandistas, foi demolida para dar lugar a um galpão com fins comerciais.


A construção centenária, localizada no bairro de Neves, no município de São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, poderia livrar-se de tal fim se a prefeita da cidade o declarasse patrimônio cultural. Ou seja, um decreto poderia ter desapropriado o imóvel para fins culturais e tombado a casa como patrimonio histórico. No entanto, nao foi esta a escolha da prefeita Aparecida Panisset, evangélica, eleita com os votos da Igreja Universal do Reino de Deus e outras denominações neopentecostais.


O terreno do Centro Espírita Umbandista Caboclo Pena de Ouro tem 23 mil metros quadrados. Cerca de 60% da propriedade são de mata atlântica, com espécies nativas preservadas.


Fonte:



Pai Evandro de Ogum - http://evandrodeogum.blogspot.com




Nenhum comentário:

Postar um comentário