sábado, 17 de março de 2012

Poesia

Coração violento, o Seridó.

Cercas de pedra
não contêm sua íntima desordem.

É invenção a beleza
de suas águas.

- um açude marchando lento
à procura e raízes.

(Iara Maria de Carvalho, “Milagreira”, 2011).

Um comentário: