terça-feira, 29 de maio de 2012

Aumentam preconceitos contra crenças de origem africana no Brasil


A intolerância religiosa é marcante no Brasil e afeta principalmente pessoas ligadas às crenças de origem africana, revela uma pesquisa da Relatoria Nacional de Educação. E esta situação começa desde cedo nas escolas.

O número de casos de intolerância em escolas públicas, sobretudo em relação a seguidores de religiões de matriz africana, está a aumentar, diz a investigadora e relatora nacional da educação Denise Carreira. “São religiões que constituem espaços de resistência do povo negro no Brasil. Historicamente, essas religiões foram muito perseguidas, foram demonizadas, sobretudo por religiões de matriz cristã”, lembra.

A investigação da Relatoria Nacional de Educação mostra ainda que a crítica situação começa desde cedo nas escolas, com casos de professores demitidos e alunos apedrejados, vítimas do racismo. O relatório contém também um conjunto de recomendações para enfrentar diversos problemas ligados ao racismo na educação, entre os quais a intolerância religiosa. Este levantamento, que faz parte dos trabalhos da Relatoria Nacional da Educação com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), foi feito a partir de denúncias que chegaram ao órgão, após missões que perceberam um aumento de casos de intolerância religiosa em escolas públicas brasileiras. 

3 comentários:

  1. OlÁ Luís me chamo Brenda e sou estudante do curso de Serviço Social... minha monografia será sobre os negros do riacho e o avanço da anemia falciforme. Gostaria de manter contato com você, para alguns esclarecimentos, comprei seu livro, que por sinal é muito bom. Fico no aguardo.
    :)

    ResponderExcluir
  2. ah esqueci meu e-mail é brendacirne@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Brenda: meu e-mail é lassuncao@ufrnet.br. Voce pode me encontrar no Departamento de Antropologia, no CCHLA (Azulão). Luiz Assunção.

    ResponderExcluir