quarta-feira, 31 de outubro de 2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Mapeamento dos terreiros de Natal

Barracão de Umbanda Mestre Jacinto, localizado no bairro do Planalto e dirigido pelo sacerdote Gledson Veras está no Mapeamento dos Terreiros de Natal.
 
Acesse o site:
 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Contribuição do Pai Marconi para o Fórum Internacional sobre Diversidade - São Paulo

Contribuição de Junior de Oxalá para o Fórum Internacional sobre Diversidade - São Paulo

O que está por trás dos ataques à novela Salve Jorge



Alguns setores ditos evangélicos declaram guerra à novela Salve Jorge da TV Globo. Alegam que o enredo é uma adoração ao orixá Ogum, sincretizado com o São Jorge da Igreja Católica. Uma dessa seitas, auto-intitulada evangélica, pede que seus seguidores não assistam Salve Jorge e sim, assistam à reprise da novela “Rei Davi”, que reestreou no mesmo dia, quando a Globo alcançou 35 pontos no Ibope. A TV Record, amargou ínfimos 6 pontos.

Uma dessas seitas acusa São Jorge de ser um “deus pagão travestido de santo” e que “Davi, sim, é um herói verdadeiro” e que “os fiéis não podem aceitar em suas casas algo que contrarie a sua fé”.

É óbvio que o tema da novela não é São Jorge, e, sim, do mito do guerreiro, o padroeiro da cavalaria representado na novela pelo ator Rodrigo Lombardi, que sendo devoto dele, pede proteção a cada ação.

Então, por que essa reação raivosa de um determinado segmento religioso, já que a novela não é uma homenagem nem à São Jorge, e muito menos à Ogum?

Aparentemente, pode parecer mais uma reação fundamentalista de fanáticos religiosos contra a Umbanda, que tem em Ogum um de seus mais importantes ícones. Mas... se a novela se chamasse “Salve Jerônimo” ou “Salve Sebastião”? A reação seria idêntica porque não se trata de religião. Essa é uma interpretação precipitada. É muito menos um ataque fanático-religioso, e muito mais uma preocupação econômico-financeira.

Explico. Nada dá mais lucro a uma emissora de televisão do que novelas. Nada supera
esse segmento. Não há BBBs, humorísticos, reportagens, noticiários, esportes, musicais, nada, absolutamente nada que se compare às novelas em matéria de resultado comercial. Por isso, as emissoras não economizam dinheiro quando produzem seus capítulos, levando para até para o exterior seus atores e equipes de cinegrafistas.

De acordo com a Forbes, a TV Globo quebrou um recorde comercial com “Avenida Brasil”, conseguindo vender cotas comerciais de 30 segundos por R$ 800 mil para o último capítulo! Imaginem isso: 800 mil reais por 30 segundos!

Ao todo, a TV Globo faturou cerca de R$ 2 bilhões, sendo que a produção de 180 capítulos da trama teria custado algo em torno de R$ 91 milhões. Um lucro de 1 bi e 900 milhões de reais!

Em menor escala, o sucesso da trama infantil “Carrossel” do SBT está com uma previsão de lucro de R$ 100 milhões de reais em 12 meses. Depois de “Avenida Brasil” e agora, de “Salve Jorge”, é a novela de maior audiência da TV brasileira.

E “Carrossel” não fatura apenas em comerciais por causa da alta audiência. Fatura ainda na venda de cerca de cem produtos licenciados da novela que vão desde bonecos, álbum de figurinhas, fantasia, kit festa de aniversário até aplicativos com jogos educativos para tablets.

O fracasso da audiência da reprise da novela “Rei Davi” se reflete, é claro, no faturamento da emissora, que vem amargando quedas constantes de audiência. O “Programa do Gugu” vem sendo derrotado pelo SBT aos domingos. As novelas “Rebelde” e “Máscaras” não atingiram a audiência desejada e ficam longe da vice liderança atualmente conquistada pela emissora de Silvio Santos.

Por isso, é importantíssimo identificar o que se esconde atrás desses ataques à novela da Gloria Peres. Não se trata de uma guerra religiosa. Não! Trata-se de uma guerra comercial, onde o lado que esperneia amarga prejuízos incalculáveis, obrigando seus proprietários até a venderem seus ativos para segurar a sangria financeira.

Outra guerra religiosa, disfarçada, vem acontecendo nos bastidores das seitas auto-intituladas evangélicas. Seitas que antes enchiam o Maracanã arrecadando fortunas de seus fieis, acabaram perdendo seus seguidores para outras seitas formadas por dissidentes que também se auto-nomearam “bispos”. Parafraseando o ditado popular de que tem mais cacique do que índio, hoje tem mais “bispo” do que fiel...

Em outras palavras: perderam audiência e perderam fieis que ajudavam a manter sua estrutura. Estamos falando de muito, muito dinheiro (recordando: um comercial de 30 segundos chegou a ser vendido por 800 mil reais!).

Salve Jorge deve repetir o sucesso de “Avenida Brasil”.  Por várias razões. Porque a autora é uma craque. Porque a produção é esmeradíssima (as cenas na Turquia são belíssimas). Porque os atores são consagrados e queridos. E o mais importante: porque o brasileiro ama - e idolatra sim -, São Jorge, o mesmo São Jorge que é cultuado pelos seus devotos às 6 da manhã todo dia 23 de abril, e saudado à noite como Ogum nos terreiros de Umbanda.

Salve Jorge! Salve São Jorge! Salve Ogum!
Salve a diversidade religiosa brasileira!


(Átila Nunes e Átila Alexandre Nunes)
atilanunes@emdefesadaumbanda.com.br

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Contra homofobia, hermanofobia

Antes de escolher um candidato a prefeito, o eleitor está escolhendo uma pessoa. E pessoas têm princípios.
Permitir que espalhem panfletos disseminando intolerância e preconceito é, além de antiético, um atentado à inteligência dos eleitores.


Repudiamos todo qualquer tipo de baixaria, principalmente as que semeiam ataques à classe LGBT como a feita pela campanha de Hermano Morais neste domingo.
A atitude de distribuir panfletos em igrejas é lamentável por parte de um político que quer 
ser prefeito e se diz “ficha limpa”. 
Homobofobia, caro Hermano Morais, é crime punível por lei. 
Nós, eleitores, queremos um debate de ideias sério, não esse lamaçal de baixarias. Sabemos 
da atuação atual da cidade e queremos ouvir propostas que ajudem a recuperar Natal. 
Queremos, ainda, um candidato que respeite os Direitos Humanos e os direitos conquistados 
pela classe LGBT.  
Por conta disso, repudiamos esta sua campanha baixa e desaconselhamos o voto no senhor.  
Contra homofobia, hermanofobia. 
 
Fonte: http://negroptemacao.blogspot.com/


Cenas da Festa de Paulina



 


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Festa para Paulina


A festa que Pai Freitas promoveu para a Mestra Paulina foi realizada no barracão de Aurino, na Cidade Nova, neste sábado passado e contou com a participação de dirigentes religiosos de vários outros terreiros, que estiveram acompanhados por membros de suas respectivas casas. Entre os presentes: Cleone Guedes, Claudinho de Oxalá, Gilmar Santos, Eduardo Duda, Jorginho de Macaíba, Erivan do Planalto, Gledson Veras.
A noite foi de celebração, mas também de confraternização entre as comunidades religiosas participantes.  

domingo, 21 de outubro de 2012

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

E deixa a gira girar

Neste sábado, dia 20, a gira vai girar na festa para Mestra Paulina, na casa de Pai Freitas, na Cidade da Esperança, em Natal - RN.

UFPB – Semana de Antropologia

A II Semana de Antropologia da UFPB será realizada entre os dias 27 e 30 de novembro em João Pessoa (PB), tendo como temática: “Ética Antropológica em Debate”.                                        
O encontro tenciona realizar análises críticas e propositivas sobre os paradoxos, desafios e perspectivas da Antropologia no Brasil, aprofundando o debate sobre as relações entre pesquisa antropológica, ética e ação política.  
O evento contará com: Mesas Redondas, Grupos de Trabalho, Mostra Livre de Filmes, Ensaios Fotográficos, Hipermídias e Etnografias Sonoras. 
Interessados em participar podem se inscrever até 26 de outubro.

 

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Religião e política: a eleição para vereador em Natal

A relação entre religião e política não é um fenômeno recente. Ao longo do processo histórico de formação da sociedade brasileira, essa relação foi visível e marcante, tendo principalmente como protagonista a igreja católica. Em anos mais recentes, o crescimento das igrejas protestantes, sobretudo àquelas ligadas a vertente pentecostal, têm ocupado espaços significativos, compondo blocos de poder cada vez mais forte em deliberações.    A presença de religiosos afro-brasileiros na política é bastante diferente, em decorrencia de diversos fatores relacionados ao processo histórico de formação da sociedade brasileira e a inserção da população negra nesta sociedade.

A recente eleição para vereadores no Brasil provavelmente não altera o quadro de forças políticas quando se trata de religião. No entanto, em relação ao pleito a câmara municipal de Natal, um fato chama atenção: a presença de candidatos ligados ao universo religioso afro-brasileiro – Sargento Regina, Dimas Carlos, Pai Freitas e Macilei. Embora o resultado em termos de votação não tenha sido marcante, é significativo refletir sobre a presença deles na esfera política. Desde 1992 (vinte anos), com a candidatura de Leonel Monteiro, na época presidente da FEURN, que faz uma campanha voltada para “a família umbandista”, que isto não acontecia.    
Entre os candidatos, Sargento Regina tenta reeleição buscando apoio em um campo que vai da corporação militar aos terreiros. Em seu primeiro pleito, basicamente a corporação a elege e a relação com os terreiros vai despontar durante seu mandato, seja nos discursos voltados para as populações discriminadas, seja na execução de ações, como as audiências públicas, promovidas para as comunidades de terreiros. Todavia questões como intolerância religiosa e sua ação legal, como a regularização fundiária das casas e o acesso ao registro documental, considerados fundamentais no contexto atual, não foram devidamente enfrentadas.      

Marcilei, também ligado a corporação policial, assume atualmente a presidência da Federação de Umbanda e Candomblé do RN. Faz uma campanha sem muita repercussão e pouca articulação entre os terreiros. Dimas Carlos, produtor cultural e bailarino, com iniciação na religião e ligado a uma determinada casa religiosa, procura abarcar os grupos artísticos por onde circula. Pai Freitas faz uma campanha através de visitas aos terreiros, com um discurso que enfatiza seu compromisso com a religião e os seguimentos disciminados socialmente.  
Além de estarem ligados ao universo religioso afro-brasileiro, esses candidatos tem em comum o fato de realizarem uma campanha sem recursos financeiros e estrutura organizacional. Mas nos limites desta reflexão é possível ressaltar outras dificuldades enfrentadas, como a falta de uma plataforma de conteúdo que especifique o que se deseja para o universo religioso e as comunidades de terreiros.  Ou seja, concretamente, enquanto vereador, qual será seu papel na relação com o segmento religioso afro-brasileiro.  

Outro ponto que parece perpassar os candidatos é a ausência de uma militância política sistemática nas comunidades de terreiros. Eles possuem relações com os terreiros, são religiosos, mas a presença enquanto ação política é novidade. E um ponto, não menos importante, é a visível falta de articulação entre os terreiros (que ganha forma no registro de 4 candidaturas). Nesse caso, nem os candidatos conseguiram tecer esta articulação, nem a população religiosa consegue perceber a dimensão de sua importância no contexto do terreiro. Essa desarticulação reproduz o que ocorre no cotidiano, fora da esfera política, as divisões e os conflitos, o que em ultima instância contribui para enfraquecer o grupo e seu possível poder político.  
Por fim é bom lembrar que a discussão sobre religião e política implica na reflexão sobre a visibilidade das religiões afro-brasileiras,  a construção de processos identitários, o assumir-se enquanto religioso em um contexto que exclui, discrimina, exigindo dos dirigentes religiosos uma organização política e da comunidade um pensar sobre qual é seu papel nesse processo.   
Sargento Regina – PDT – 1.328 votos
Dimas Carlos – PP –  573 votos
Pai Freitas – PHS – 221 votos
Macilei – PSL – 0 voto
Fonte: TRE-RN

 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

1ª PLENÁRIA PERMANENTE DO FONSANPOTE - Fórum Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e Povo de Terreiro




22/10 a 25/10/2012, Natal - RN

Programação:
22/10
9h - Abertura  
10h - Mesa: Identidade e função na tradição africana
14h - África-Brasil tradição e segurança alimentar
16h30min - A Alimentação e a Reterritorialização física, econômica e cultural da tradição de matriz africana
19h – Mesa com todos os representantes de entidades nacionais presentes.
23/10
9h - Alimentação saudável e nutricional da tradição na prevenção de doenças e os cuidados
14h - Desenvolvimento a partir da Visão de Mundo Africana
16h30min - Plenária de Apontamentos, considerações e construção de Agenda coletiva.
24/10
10hDiálogo: Governo e Fórum Segurança Alimentar e Nutricional
16h - O debate da organização do FONSANPOTE nos municípios, estados, nacional, e agenda por três anos.
25/10
Manhã: Colóquio SEPPIR e Povos Tradicionais de Matriz Africana

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Prêmio Palmares 2012



Estão abertas até 1º de novembro as inscrições para o II Concurso Nacional de Pesquisa sobre Cultura Afro-brasileira. O Concurso tem como objetivo estimular a produção científica e dar visibilidade aos trabalhos acadêmicos que versem sobre a cultura afro-brasileira.
Mais informações no site da Fundação Palmares.