quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Chegada de Caboclo


Chegada de Caboclo

Maria Cecília Vasconcelos

 
 

O vento desliza silencioso

Nas veredas e entre os galhos

De juremas, pereros, mufumbos

Que se esfregam entre si

Terra vermelha e seca

Sobre ela, estende-se um imenso tapete escuro

A vegetação cinza, parece esturricada

Pela incandescência da luz

Mas continuam resistentes para a nova estação

O barulho d’água a escorrer

Ressoa do ribeirão

Hipnotiza e acalma

Levanta-se como numa fina corrente

Em meio ao calor que emana da terra

Em respostas as provocações do sol

Ouço pisadas sobre folhas

O ritmo acelera

As pisadas aumentam

Os pássaros saem em revoada

São vários pares de pés

Ouço gritos graves e piados

Estou em meio à mata fechada

Uma flecha atravessa o meu corpo

Sinto uma aldeia inteira dentro de mim

 

 

Um comentário:

  1. Olá, Luiz,



    Passei para desejar um Feliz 2014...
    paz, saúde e alegrias, sempre!

    Abraço do Pedra do Sertão

    Para não se esquecer: www.pedradosertao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir