terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

URGENTE: Comissão de Direitos Humanos e Minorias

Caros amigos do Brasil,

Bolsonaro e direitos humanos são coisas contraditórias. Mas, por incrível que
pareça, tudo indica que ele vai ser o presidente da Comissão de Direitos Humanos e
Minorias (CDHM), para suceder a Feliciano. Só temos um dia para evitar que isso
aconteça!

Há vários deputados e deputadas que seriam uma escolha melhor para este cargo tão
importante, mas os grandes partidos têm prioridades diferentes, e, de vez em quando,
deixam a Comissão de Direitos Humanos para oportunistas procurando por um palco para
se exibir. Para quem não sabe, Bolsonaro já deu declarações racistas, homofóbicas,
machistas e anti-democráticas. É esse o líder que queremos para representar as
minorias do país? Não, por isso é fundamental que a gente manifeste, desde já, a
nossa insatisfação.

Vamos dizer aos líderes partidários que queremos alguém com um histórico na luta de
direitos humanos presidindo a CDHM. Assine agora, passe adiante e mobilize o máximo
de pessoas que puder. O tempo urge! As eleições para presidência das comissões são
amanhã!

Acesse o link abaixo e participe dessa luta.

http://www.avaaz.org/direitos_humanos

http://www.avaaz.org/direitos_humanos

Flores para Iemanjá


Ao chegar às margens do rio Paraguaçu, que banha a cidade de Cachoeira, no recôncavo baiano, algo me chamou atenção: dois belos ramalhetes de flores, um na cor amarela e outro branco, estavam sendo retirados de um automóvel e colocados em um pequeno barco. Imediatamente pensei em algo e a partir daí não pude conter minha visão, fiquei preso àquela cena, acompanhando o seu desenrolar. Tinha ido apreciar o cenário e estava também em busca de um clima que amenizasse o calor daquele início de tarde. Com cuidado os ramalhetes vão sendo arrumados no barco. Os dois homens se posicionam e um deles põe um dos ramalhetes sobre as pernas. Com delicadeza e maestria um dos homens vai fazendo o barco se mover, lentamente, em busca de um caminho. Segue para a parte central do rio e em linha reta vai à busca de uma pedra existente lá no final, onde a vista alcança e bem próximo de onde o rio faz uma curva.

Pergunto para a mulher proprietária do bar onde me encontrava sentado a apreciar a cena: para onde aqueles homens estavam levando os ramalhetes de flores? 

E ela rapidamente responde: estão levando para Iemanjá.


  

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

No recôncavo baiano


Encontro-me no recôncavo baiano, mais precisamente nas cidades de Santo Amaro da Purificação e São Francisco do Conde participando como membro da comissão avaliadora do concurso para professor de antropologia da UNILAB - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. 

A UNILAB tem como um dos seus propósitos a formação do alunado visando contribuir para a integração do Brasil com os países da África, em especial com os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa-CPLP, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da região.  

É uma universidade pública, mantida pelo governo federal e funcionando em dois polos localizados nos municípios de Redenção (Ceará) e São Francisco do Conde (Bahia).

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Morre Eduardo Coutinho



O cineasta Eduardo Coutinho, 80 anos, faleceu neste domingo, dia 02 de fevereiro, em sua residência no Rio de Janeiro.  Paulista, considerado um dos principais documentarista do país, deixa importantes trabalhos em que traduz o cotidiano de pessoas comuns, a complexidade e a beleza de suas existências. Na sua filmografia constam produções como: “Cabra marcado para morrer”, “Edifício Master”, “Fio da memória”, “Santo Forte”, entre outros. 

Em 2007, o cineasta ganhou um Kikito de Cristal, principal premiação do cinema brasileiro, pelo conjunto da obra. Em 2013 foi o Grande homenageado da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.