segunda-feira, 28 de abril de 2014

Ara mi, meu corpo, alimentação e outros temas


Um texto sobre a Jurema em Natal


A tradição do Acais na Jurema natalense: memória, identidade, política” 

Este é o título do texto que ao longo desses últimos meses venho me dedicando e, finalmente, acabo de escrever.  Foi escrito a partir de uma solicitação da professora Mundicarmo Ferretti (UFMA) para compor uma coletânea que ela está organizando sobre as religiões afro-brasileiras.  

No referido artigo abordo o tema da Jurema na cidade de Natal destacando o diálogo mantido por ela com outras tradições religiosas. Tomando como referencia a trajetória de Babá Karol, discuto como a tradição do Acais ganha forma no contexto natalense, o papel dos “discípulos” do babalorixá-juremeiro, ao mesmo tempo em que reflito acerca da dimensão identitária e política que perpassa o processo de reelaboração da tradição.  

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Sobre as muitas coisas desse Sertão


Esses dias foram de leituras. Até o final deste mês de abril participo de três exames de doutorado. Por isso esses dias foram de leituras. Um dos trabalhos é sobre a vida e a obra do etnógrafo potiguar Oswaldo Lamartine, um homem que amou, viveu e estudou o Sertão. Ou como ele se definia: um “registrador de coisas”. Das coisas do Sertão do Seridó.
Como não se apaixonar por Oswaldo?
 
Outro estudo trata do processo de criação do improviso em formas de expressão tradicionais nordestinas, como a cantoria, e, como a mulher transita nesses espaços. Quanta mulher forte, numa arte dominada pela presença masculina: Mocinha e Santinha Maurício, Mocinha de Passira, Minervina Ferreira, Terezinha Maria, Biu Bonzinho, Maria Soledade Leite, Luzivan Matias, Neuma da Silva, Damiana Pereira, Lucinha Saraiva, Terezinha Maria, Luzia dos Anjos, entre tantas outras estrelas cantadoras dessa imensidão Nordeste.
 
Lendo a narrativa de vida dessas mulheres, dar vontade de conhecê-las, ouvi-las cantar.
 
“Cada um tem seu mistério de viver” (Biu Bonzinho).
 
“É muito bom cantar, improviso. Cantar a natureza. Não é todo mundo que faz isso, é uma arte, eu valorizo o que faço, eu tenho consciência de que sou artista” (Minervina Ferreira).
 
Um dos muitos problemas enfrentados por essas cantadoras é o acesso à gravação sonora e às novas tecnologias, como gravar um CD. Uma rara exceção foi o CD “Mulheres no Repente” gravado por Minervina Ferreira e Mocinha da Passira em 1999 e produzido por Marcus Vinícius de Andrade, com o apoio da União dos Cantadores, Repentistas e Apologistas do Nordeste-UCRAN.
 
 

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Dissertação de Mestrado



Realização de exame de dissertação de mestrado
Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - UFRN

“Show de Mamulengos” de Heraldo Lins:
Construções e transformações de um espetáculo na cultura popular
Zildalte Ramos de Macêdo

Dia: 24/04/2014
Hora: 14:00
Local: Setor II – Sala C-5

RESUMO:

O teatro de mamulengos é uma das expressões da cultura popular que têm sua trajetória marcada por construções e transformações tanto em suas representações simbólicas como em seus personagens e performances. Na cidade do Natal, RN, existe um mamulengueiro chamado Heraldo Lins que mantêm o seu teatro de mamulengos em atividade há vinte e um anos. Ele possui o seu próprio olhar sobre o que produz e como produz: procura ajustar o seu teatro de mamulengos ao contexto social e ao mercado, tematiza as apresentações a pedido do contratante, sistematiza a construção das passagens e falas dos bonecos. Esta pesquisa procurou estudar o processo de construção do “Show de Mamnulengos” de Heraldo Lins, sobretudo como ocorrem às transformações. Constatamos que ele opta pela dissolvição de valores simbólicos presentes no teatro de mamulengos tradicional em prol de uma adaptação à modernidade, se colocando entre o teatro tradicional de mamulengos e a indústria cultural. O trabalho de campo foi realizado através de um recorte metodológico que privilegiou a observação participante, entrevista e o registro sonoro-visual.  



domingo, 13 de abril de 2014

FUNCARTE lança para consulta a minuta do edital para festividades e expressões religiosas


A Prefeitura do Natal, por meio da Fundação Cultural Capitania das Artes - FUNCARTE publica a minuta do edital Festividades e Expressões Religiosas 2014 para consulta pública.  

Para conhecer o edital, consulte o site:


A minuta ficará aberta para sugestões no site www.natal.rn.gov.br