domingo, 26 de março de 2017

Salão do Livro de Paris



Conhecer o Salão do Livro de Paris e poder circular por stands de países de diferentes partes do mundo foi uma grande experiência. Marrocos é o país homenageado do salão e tem destaque na programação. O Brasil está presente com um pequeno stand e ausência de muitos nomes de nossa literatura. O continente africano expõe material de vários países e um concorrido espaço para apresentação de comunicações. O mesmo acontece com a representação da França por meio de suas regiões, dos países do mundo árabe e o leste europeu, entre outros. Mas o que mais me chamou atenção foi o destaque para a literatura destinada ao público jovem, adolescente. Além de um espaço bastante grande, com todo tipo de produção literária, conta com um público intenso e movimentado, presente em filas para autógrafos, nos ateliers e nos espaços de diálogos com os escrit@res. Ao observar aquela efervescência não posso deixar de pensar em nossa realidade potiguar, marcada pela distância do jovem em relação ao conhecimento literário, como também a ausência de políticas culturais específicas, como o exemplo da Biblioteca Pública do Estado, eternamente fechada.      


Nenhum comentário:

Postar um comentário