quinta-feira, 15 de junho de 2017

Tese de Doutorado


Trânsitos, saberes e tradições:
Identidade, mercado religioso e transações de conhecimento em um terreiro de candomblé na cidade de João Pessoa.

João Paulo da Silva

Orientadora: Dra. Maria Lúcia Bastos Alves (UFRN-PPGCS)
Participantes da banca de avaliação: Dr. Adriano de León (UFPB), Dra. Maristela oliveira de Andrade (UFPB), Dra. Julie Cavignac (UFRN) e Dr. Luiz Assunção (UFRN).  
RESUMO:
O presente trabalho teve como objetivo entender como se estabeleciam trajetórias religiosas frente aos processos de transformação e mudança que nas últimas décadas têm caracterizado o campo afro-religioso brasileiro, em especial através da inserção do candomblé na arena política e os efeitos dessa inserção em projetos de “reafricanização” de terreiros. O esforço empreendido foi de natureza qualitativa, com vistas à construção de uma narrativa etnográfica capaz de entrever as linhas de fuga, tensão as práticas de enunciação e os deslizes entre sentidos acionados por sacerdotes e adeptos na forma como entendiam suas experiências. O lócus de pesquisa foi o Ilê Asè Opô Omidewá, um dos terreiros de candomblé mais prestigiados de João Pessoa, liderado por Mãe Lúcia de Omidewá. No seu processo de remissão estética, política e ritual à África, o Ilê Asè Opô Omidewá havia produzido uma economia linguística ambivalente para lidar com aspectos materiais e simbólicos que ordenavam a coerência das práticas religiosas às demandas dos mercados e clientes que garantiam sua atratividade e persistência. A pesquisa mostrou como era particularmente potente discutir como ideias relativas à autenticidade e à tradição embutidas no processo de “reafricanização” eram polissêmicas e constituídas em um espaço semântico marcado por percepções ambivalentes e conflituosas sobre transformação, conservação, reiteração e identidades.  

Dia: 21 de junho de 2017
Horário: 14 horas
Local: UFRN, Auditório do CCHLA (térreo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário