domingo, 23 de julho de 2017

Semestre Letivo UFRN


Amanhã (24 de julho) tem início o segundo semestre letivo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN e conforme a programação acadêmica do Departamento de Antropologia ficarei responsável por lecionar as disciplina “Antropologia da Religião” (turno noturno) e “Cultura Popular” (turno matutino) no Curso de Ciências Sociais. No Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, assumo a disciplina “Religião e religiosidade”, programada para o horário das quartas-feiras, às 14 horas.

A busca da África no candomblé

Editado na França a segunda edição do livro de Stefania Capone - La quête de l'Afrique dans le candomblé: pouvoir et tradition au Brésil, com prefácio de Stephan Palmié e posfácio  de Paul C. Johnson.  

Este estudo propõe uma interpretação original do campo religioso afro-brasileiro que revela a existência de um continuum que, da Umbanda ao candomblé nagô, realça o jogo complexo das adaptações rituais e políticas no movimento de reafricanização. Quais são os mecanismos que preside a construção destes processos? Que papel desempenharam os antropólogos na emergência e na legitimação desta África reinventada? Quais os desafios políticos subjacentes a este movimento? Essas são as principais questões que o livro procura responder.
S MIMÉSIS ANTHROPOLOGIE
 
editionsmimesis.frÉDITIONS MIMÉSIS ANTHROPOLOGIEeditionsmimesis.fr
Stefania Capone é diretora de investigação no CNRS e membro do CéSor - Centro de estudos em ciências sociais do religioso (EHESS, Paris). Especialista em religiões afro-Americanas e sua transnacionalização, a sua pesquisa atual diz respeito às conexões diaspóricas no Atlântico Negro. Ela também é autora dos Iorubás do novo mundo (2005) e tem coordenado várias obras coletivas, incluindo Religião dos Orixás (2011). A busca de África no candomblé foi traduzida em português (Brasil, 2004) e em inglês (Estados Unidos).

editionsmimesis.fr


terça-feira, 18 de julho de 2017

quinta-feira, 13 de julho de 2017

domingo, 9 de julho de 2017

Festa para os senhores mestres e senhoras mestras


Na jurema natalense uma das tradições cultivadas é a comemoração do mestre ou mestra da casa, realizada anualmente através de uma grande festa com a participação de toda comunidade que constitui a casa religiosa. Ontem, dia 08, a homenageada foi dona Maria Bassulê, mestra do Pai Aurino de Oliveira Santos, conhecido juremeiro da cidade de Natal, cuja casa está localizada no bairro de Cidade Nova. Na ocasião foram também comemorados seus 21 anos de consagração na jurema, iniciado pelas mãos do Pai Freitas.
Fotos: Grupo Whatsapp família Pai Freitas


 

domingo, 2 de julho de 2017

Música e Cultura Popular


Mais uma revista chegando para os pesquisadores e demais interessados no tema das culturas populares. Trata-se do Dossiê de Música e Cultura Popular publicado na Revista de Estudos e Investigações Antropológicas do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPE. Este volume traz o olhar antropológico de diversos pesquisadores com o intuito de apontar as particularidades das culturas populares, as expressividades e sentidos em torno das práticas musicais e do cotidiano.
http://www.revista.ufpe.br/reia/index.php/reia/issue/current

sábado, 1 de julho de 2017