terça-feira, 23 de maio de 2017

Revista Sociedade e Religião


“Quimbanda em Argentina” é o nome do artigo que está no último número da Revista Sociedad y Religion, disponível na internet através do link:
http://www.ceil-conicet.gov.ar/ojs/index.php/sociedadyreligion/issue/view/9/showToc

terça-feira, 16 de maio de 2017

Demarcação Já!



O desmonte das políticas governamentais voltadas para inclusão social, melhoria das condições de vida e conquista de direitos, em curso no contexto atual, tem atingido diferentes grupos sociais, sem exceção. A posição assumida pelo governo brasileiro em relação à política indigenista e aos direitos reconhecidos aos povos indígenas desde a Constituição de 1988, é um dos muitos exemplos que podem ser citados    

domingo, 14 de maio de 2017

DOCUMENTÁRIO "EU NÃO SOU SEU NEGRO" CHEGA AO BRASIL




Eu Não Sou Seu Negro baseia-se no manuscrito que descreve as relações étnicas durante a luta dos direitos civis pelos negros nos Estados Unidos com enfoque na morte dos seus principais ícones: Medgar Evers, Malcom X e Martin Luther King. O documentário foi dirigido pelo haitiano Raoul Peck, a partir do manuscrito “Remember This House”, do escritor James Baldwin.

Mulher, negra, marisqueira, mãe: exemplo de resistência

Dona Terezinha de Jesus, 84 anos, negra, pescadora e marisqueira na comunidade de Porto do Mangue, é homenageada pelo artista potiguar Guaraci Gabriel, com uma escultura em aço inox, com cinco metros de altura, fixada em frente à casa da homenageada, na praia de Rio das Conchas, em Porto do Mangue (RN). 
 
Foto: Jornal Tribuna do Norte (Natal, RN)
 

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Solidariedade com o Brasil


Por onde andei

 ZUMAYA, pueblo do País Basco
 


 A língua basca presente nos anúncios públicos  
 
 A paisagem: entre montanhas e o mar
 


 Um rio entre as montanhas e o mar

 "Pintxos", uma comida em miniatura, comum em toda área pesqueira. 


Entre montanhas e o mar


Dias de estradas, outros lugares, conhecimentos, aprendizagens. Um retorno repleto de imagens, palavras, sons e muitas ideias para serem pensadas, refletidas.

Estive durante alguns dias na região do País Basco com a intenção de conversar com migrantes potiguares sobre o seu cotidiano e práticas religiosas. O resultado foi além, pela oportunidade da convivência diária em suas casas, saber da vida e de suas histórias; conhecer o trabalho, a relação com os serviços públicos ofertados, a rede social construída. Mas, também, a oportunidade de conhecer a beleza de uma terra entre montanhas e o mar, e, as pessoas, com as quais tive o prazer de aprender um pouco da história do lugar, dos acontecimentos. Sentir a força da palavra (e dos sentimentos) que brota de cada um quando se expressa sobre seu mundo, sua cultura, não tenho como descrever, apenas sentir.