quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Quilombolas de Capoeiras



Quilombolas de Capoeiras: resistência, território e identidade - livro de autoria da professora Francisca Miller, foi lançado recentemente pela Editora da UFRN, em formato e-book, encontra-se disponível no link:


O trabalho foi apresentado inicialmente como relatório antropológico para subsidiar o processo de regularização fundiária da comunidade quilombola de Capoeiras – município de Macaíba – RN, parte do convênio celebrado em 2005 entre o INCRA/MDA e a UFRN/FUNPEC/Departamento de Antropologia, que visava proceder a estudos de identificação e delimitação dos territórios de comunidades quilombolas no estado do Rio Grande do Norte.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Maracatu Nação Leão Coroado


A bailarina do Balé Parafolclórico da UFRN, Isabel Batista Freire, apresenta amanhã, dia 28 de fevereiro, às 09 horas, no Auditório de Educação Física, sua dissertação de mestrado “Maracatu Leão Coroado como fruto da árvore da vida: por um caminho de conhecimento simbólico e estético na Educação Física”.
O objetivo da dissertação é contribuir para ampliar olhares na área da Educação Física, para que ela possa ser “um campo com uma trajetória que transcende cada vez mais as couraças impostas por perspectivas que tornam seus saberes verdades absolutas e não novas formas de pensar os horizontes do conhecimento”. Nessa perspectiva, o Maracatu “transcende aos limites da vivência física ou biológica, destacando-se a sensibilidade do ser, visto que, nela existem sentidos e significados”.
A dissertação foi produzida no Programa de Pós-Graduação em Educação Física e teve como orientadora a professora Rosie Marie Nascimento de Medeiros (Departamento de Educação Física da UFRN).

 

Práticas Jurídicas


Núcleo de Práticas Jurídicas atende população carente a partir de segunda

O Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), inicia, nesta segunda-feira, 26, as atividades do primeiro semestre de apoio jurídico à população de Natal com renda igual ou inferior a dois salários mínimos, nas áreas de Direito da Família, Direito Sucessório e do Consumidor.

Os primeiros atendimentos acontecem de segunda à quinta-feira, no horário das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30. Nesse atendimento, o cidadão deve levar os seguintes documentos: Identidade, CPF, Comprovante de renda, Comprovante de Residência, além de documentação necessária para instruir o processo.

Todo atendimento é gratuito e realizado por alunos do Bacharelado em Direito da Universidade com supervisão de professores e profissionais da área. Em 2017, o Núcleo proporcionou prática a mais de 500 alunos do Bacharelado em Direito do CCSA através da realização de 569 atendimentos - 242 novos assistidos e 327 atendimentos de retorno - 116 ações ajuizadas, participação da equipe em 100 audiências decorrentes de processos ajuizados pelo núcleo e cumprimento de 379 prazos judiciais.

O NPJ fica localizado no Setor I do Campus Central da UFRN, próximo ao campo de futebol. Outras informações podem ser consultadas no site www.ccsa.ufrn.br/npj, através dos telefones (84) 3342-2309, 9 9193-6459, 9 9167-6595 ou pelo e-mail npjufrn@gmail.com.

Fonte: Boletim Diário da UFRN – Natal/RN, sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018 – nº 36 – Ano XVII

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Mapeamento dos terreiros de Natal

AVISO:
 
Problema técnico resolvido. O site do "Mapeamento dos terreiros de Natal", voltou a funcionar.
 
Para acessar é só clicar no link abaixo:

http://cchla.ufrn.br/mapeamentodosterreirosdenatal/

domingo, 18 de fevereiro de 2018

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

domingo, 4 de fevereiro de 2018

I Fórum Estadual das Comunidades Tradicionais de Terreiros do RN


AVISO


Por questões de manutenção no sistema de informática do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes-CCHLA da UFRN, o site do Mapeamento dos Terreiros de Natal está suspenso temporariamente. Assim que os problemas técnicos sejam resolvidos o referido site volta a funcionar. Agradecemos pela compreensão e colaboração de todos(as).

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Educação para as Relações Étnico-Raciais

IV Congresso Nacional de Educação para as Relações Étnico-Raciais


Data: 
10 a 13/05/2018
Local: 
Universidade Federal de Campina Grande - UFCG
http://fb.com/cnepre

domingo, 21 de janeiro de 2018

Primeiro Encontro de Juremeiros de Natal


O Primeiro Encontro de Juremeiros de Natal aconteceu neste domingo, no Memorial da Capoeira, localizado no bairro de Cidade Nova, em Natal-RN, com uma participação significativa de juremeiras e juremeiros, representantes de diferentes comunidades de terreiro da cidade.
O evento tem sua importância exatamente por reunir diferentes tradições e ramas das religiões afro-brasileiras em um momento em que a união se coloca como fundamental para o enfrentamento da intolerância religiosa, do preconceito e do racismo vivido por essas comunidades. Foi também importante para experimentar a máxima de que “juntos seremos fortes”, como lembra o ponto cantado na Jurema: “a força que a jurema tem”.
O encontro partiu de uma proposta de Pai Freitas e com o apoio de juremeiras e juremeiros conseguiu dar forma a este importante momento. A programação contou com a abertura religiosa, em seguinda, uma mesa com a presença de lideranças religiosas e comunicação do professor Luiz Assunção (UFRN) e Alexandre L’Omi L’Odò (liderença juremeira do Recife-Olinda e organizador do Kipupa Malunguinho). O encontro foi encerrado com a realização do ritual de Jurema.
A semente foi plantada.







O encontro das comunidades no ritual









A melhor expressão da Jurema: a sua gente










quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

A Jurema como expressão de conhecimento


Em dezembro passado foi apresentada a monografia “A ciência da Jurema Sagrada como expressão de um conhecimento ancestral”, elaborada pelo aluno João Batista Figueredo de Oliveira, para conclusão do Curso de Ciências Sociais – UFRN.
O trabalho é resultado da pesquisa realizada no terreiro de Mãe Lúcia de Nanã que está localizado em Parnamirim/RN – intitulado de Axé Ilê Bogunder. O referido Ilê cultua, em dias diferentes, o Candomblé Ketu e a Jurema Sagrada. O candomblé ocorre aos sábados mediante festas e obrigações de Orixás, enquanto que a Jurema acontece nas quartas-feiras com toques para Exú de catiço, Caboclos e Mestres.
João Batista toma como referência as leituras de Claude Lévi-Strauss, em especial a noção de ciência do concreto, como possibilidade para refletir sobre o conhecimento. Seguindo o caminho dos níveis estratégicos para se chegar ao conhecimento, é possível pensar a Jurema Sagrada como dotada de um conhecimento ancestral, transmitido pela vivência cotidiana e experimentada no exercício ritualístico de cura, no uso de ervas, plantas e substâncias, conjugando conhecimentos de propriedades curativas das plantas e substâncias utilizadas, com rezas e elementos de crenças.
A banca examinadora foi composta pelos professores Lidiane Alves da Cunha (UERN), José Roberto Oliveira dos Santos (IFRN) e Luiz Assunção (UFRN).
 
 
 

 



Mãe Lúcia de Nanã e membros da comunidade Axé Ilê Bogunder (Parnamirim-RN).
Fotos: Karla Costa.