segunda-feira, 30 de novembro de 2009

QUEM É DE AxÉ, DIZ QUE É


Marcelo Galvão


Marcelo Nunes Galvão, Babá Marcelo de Obaluaiyê é responsável pelo Ilê Ilé Ifé Axé Òbáluàiyé, localizado no município de Extremoz, área metropolitana de Natal. Marcelo Galvão juntamente com sua esposa Tereza de Xangô, em 1998, adquire por compra um terreno onde edifica o Ilê.


Nasceu em 02/02/1962, na cidade de Natal/RN. Filho de Olírio Galvão e Maria Nunes Galvão, católicos, que transmitiram os ensinamentos cristãos para o filho, seguidos até a fase da adolescência. Inquieto e em busca de respostas passou a freqüentar outras práticas religiosas, tais como a protestante e a espírita. No entanto, foi numa igreja da Assembléia de Deus, que vivenciou as primeiras experiências mediúnicas, como o transe e o falar “línguas estranhas”. Posteriormente vai para um centro espírita – o Centro Espírita Bezerra de Menezes.


O trabalho numa loja comercial que vendia artigos religiosos de Umbanda, o levou a conhecer alguns terreiros de Natal e a prática religiosa dessas casas. Passou a freqüentar o Centro Espírita de Umbanda Santa Bárbara, no bairro do Alecrim, sob a responsabilidade de Babá Reinaldo Ribeiro dos Santos e Yá Luciene Cacilda Ribeiro dos Santos, mãe Luciene de Ogum. Neste Centro de Umbanda, em 1978, faz sua iniciação e os rituais de bori para o orixá Obaluaiyê, chegando, posteriormente, a assumir o cargo de babakekerê da casa. Fez ainda serviço no santo com Mãe Nem, responsável por seu acompanhamento durante este período.


Durante os anos de 1984 a 1990 fixa residência na cidade de Florianópolis/SC, onde abre um terreiro. Seu retorno para Natal o faz percorrer algumas casas religiosas onde desenvolve trabalhos espirituais. Em 1991 conhece Babá Boni com quem faz as obrigações na nação ketu, marcando a partir daí a condução ritualística do Ilê Ilé Ifé Axé Òbáluàiyé.


Atualmente Babá Marcelo de Obaluaiyê está sob os cuidados de Walmir de Oxossi, Ebomi do Gantois, herdeiro da Casa de Mãe Marina de Ossãe, no Rio de Janeiro. Mãe Marina foi iniciada no Gantois há exatamente 77 anos por Mãe Menininha. Pai Walmir atualmente é cuidado por Mãe Carmem de Oxaguian, filha carnal de Mãe Menininha e atual Iyalorixá do Gantois.

domingo, 29 de novembro de 2009

Comunidade Quilombola do Jatobá tem seu território regularizado







O Diário Oficial da União do dia 22 de novembro publicou os decretos assinados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva que regularizam territórios quilombolas em 14 estados brasileiros. Para isso, estão sendo desapropriados 342 mil hectares de terra. Mais de 3,8 mil famílias serão beneficiadas. De acordo com o INCRA, esses são os primeiros decretos de áreas quilombolas que envolvem desapropriações.

Entre os territórios regularizados consta o da Comunidade Quilombola do Jatobá, localizada no município de Patu/RN. A representante da comunidade, Sandra Silva, esteve presente no ato de entrega do documento, realizado em Salvador/BA.

sábado, 28 de novembro de 2009

Desagravo em favor dos quilombolas abre Congresso Brasileiro de Folclore em Vitória/ES

O mestre do Ticumbi de Conceição da Barra (norte do Estado do ES), Terto Balbino e o líder quilombola Berto Florentino, realizaram um ato de desagravo a favor dos quilombolas, durante a abertura do Congresso Brasileiro de Folclore, nesta terça-feira (25), na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). A iniciativa é contra a violência praticada pela Polícia Militar (PM), em operação que prendeu 28 quilombolas, arbitrariamente, no último dia 11. Presente à solenidade, o vice-governador Ricardo Ferraço (PMDB) se comprometeu a apurar as responsabilidades.


Terto ressaltou que atitudes como essas são inconcebíveis, lembrando ainda das três prisões já sofridas pelo contramestre do Ticumbi e a liderança do norte do Estado, Berto Florentino, respeitado e lutador, e que enfrenta dificuldades em sua minúscula propriedade para sobreviver.


Na operação do dia 11/11, a polícia foi à casa de Berto Florentino e o acusou de participar da “máfia das madeiras”, aplicando-lhe uma multa de R$ 3,6 mil, devido à existência de um forno para a produção de carvão na região. Em seguida, jogou seus móveis no chão, e levou a família inteira à delegacia. Ações semelhantes já haviam sido registradas outras duas vezes.


Berto reside na comunidade de Domingos do Norte, e está marcado para morrer. Além de integrar o Ticumbi, lidera a colheita de sobras de eucalipto da Aracruz, que é lixo para a empresa. É, portanto, um dos principais alvos da transnacional.

Os restos de eucalipto são usados pelos negros para produção de carvão, única atividade que restou às comunidades negras do antigo território do Sapê do Norte, que integra os municípios de Conceição da Barra e São Mateus, após a chegada da Aracruz, na ditadura militar. Sem alternativas de subsistência, resultado dos impactos ambientais, sociais e econômicos promovidos pela transnacional, é de onde tiram alguma fonte de renda para sobreviver, em meio aos eucaliptais.


O caso mais recente dos abusos contra os negros foi levado ao conhecimento do Ministério Público Federal (MPF), à Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), mas ainda sem providências. Inquérito instaurado pelos procuradores da República de São Mateus Júlio de Castilhos e Leandro Botelho Antunes investiga se houve violações aos direitos humanos nas prisões. O órgão reconhece a ausência da amparo legal na ação.


Fonte: Fragmentos da matéria publicada no Boletim Informativo do Koinonia.

http://www.koinonia.org.br/oq/noticias

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

14ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico

Um dos grandes eventos que privilegiam o cinema documental no Rio de Janeiro, a Mostra Internacional do Filme Etnográfico abre hoje à noite sua 14ª edição. A morte de Lévi-Strauss, a restauração de mais filmes de Adrian Cowell, a consagração de Vincent Carelli com Corumbiara e o lançamento de um novo edital do Etnodoc fazem a moldura do evento.

A Mostra tem como objetivo exibir documentários de caráter etnográfico, nacionais e internacionais, possibilitando um diálogo entre diferentes realizadores e suas cinematografias. O projeto, idealizado pela Interior Produções e coordenado por seus diretores, a antropóloga Patrícia Monte-Mór e o documentarista José Inácio Parente, faz parte de uma iniciativa mais ampla em direção à reflexão sobre o ensino da antropologia e a produção de documentários. Além da exibição de filmes e vídeos, a Mostra também promove um conjunto de atividades voltadas para o debate de questões dos dois campos.

O evento segue até o dia 04/12 no Museu de Folclore Edison Carneiro e SESC.

Fonte:

http://www.mostraetnografica.com.br

http://www.twitter.com/mostraetno

1ª Caminhada Nacional pela Liberdade Religiosa foi realizada em Salvador

A 1ª Caminhada Nacional pela Liberdade Religiosa, realizada dia 22/11, em Salvador/BA, reuniu centenas de seguidores e simpatizantes do Candomblé e demais segmentos das chamadas religiões afro-brasileiras, vindos de diversas cidades do interior da Bahia e do Brasil, como São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Brasília, São Luís, Recife e Aracaju. A caminhada seguiu do Engenho Velho da Federação até o Dique do Tororó.


Durante todo o trajeto da Caminhada os participantes cantaram, dançaram, bateram tambor e reforçaram a importância de combater a intolerância religiosa e o preconceito às religiões de matriz africana. “Combatemos a intolerância religiosa, por isso, não queremos proselitismo e, sim, o respeito e a liberdade a todas as manifestações religiosas”, afirmou Marcos Rezende, coordenador geral do Coletivo de Entidades Negras.


Fonte: Coletivo de Entidades Negras – http://cenbrasil.blogspot.com



segunda-feira, 23 de novembro de 2009

QUEM É DE AxÉ, DIZ QUE É

BABÁ KAROL


Jafason Francisco Eugênio – Babá Karol, nasceu em 1927 na cidade de Currais Novos/RN, mas foi registrado como filho de Fortaleza/CE. Ainda bem jovem foi morar nesta cidade. Desde então foram várias mudanças: Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Natal. No Rio, freqüentou o terreiro de Joãozinho da Goméia. Em Salvador, o Gantois; e em Olinda a casa do babalorixá Nestor Ferreira.


A mediunidade foi descoberta quando adoeceu e após tratamento médico procurou freqüentar terreiros. Um sonho no qual falava com mestre Zé Pelintra foi decisivo para sua entrada na religião.


No Recife, na casa de Elisabete Ferreira, faz iniciação no santo com Júlio Gomes. Na jurema foi consagrado e assentou o mestre Urubatã. Seu feitio na jurema foi concluído em Alhandra/PB, na casa de Vicência e Angelina, filha de Joana Pé de Chita, na linhagem de Maria do Acais.


Em Natal, freqüentou os terreiros de Joaquim Cardoso, Chico Aleijado, Inês, Agenor Barroca. Abre terreiro em Natal, pela primeira vez, em 1942 e inicia toque em 1965 em sua própria casa, denominada Terreiro de Oxum – Oxum Abo Omin Omi Dewá, no bairro de Nazaré. Em sua trajetória Babá Karol consagrou vários discípulos, entre eles: Rivaldo, Jeová, Finha, Natércia.


Atualmente por problemas de saúde encontra-se afastado de suas atividades religiosas.

As Religiões Afro-brasileiras aproximando os Saberes

"As Religiões Afro-brasileiras aproximando os Saberes" é o tema escolhido pela Faculdade de Teologia Umbandista de SP para o III Congresso Brasileiro de Umbanda do século XXI, que deverá ser realizado em novembro de 2010.

Site da FTU: www.ftu.edu.br

Saiba como participar do III Congresso enviando um email para congresso@ftu.edu.br